A Comissão Europeia lançou um concurso internacional para a elaboração de um estudo a nível europeu, que pretende analisar as atividades, os apoios e os reflexos no funcionamento da cadeia alimentar, das organizações de produtores (OP) e associações de organizações de produtores (AOP), em todos os sectores da atividade agrícola.

O Estudo terá a duração de 15 meses e irá também analisar outras formas de cooperação existentes na União Europeia. Incidirá, basicamente, sobre três vertentes:

Um inventário das OP e AOP reconhecidas oficialmente pelos diferentes Estados-membros.

Apresentar uma visão geral sobre o número de estruturas que, embora não sendo reconhecidas oficialmente, promovem a cooperação entre produtores agrícolas em cada Estado-membro.

Analisar as vantagens e desvantagens para os produtores na criação ou adesão a uma organização de produtores e quais os parâmetros que influenciam positiva ou negativamente o trabalho destas estruturas, assim como o impacto que as organizações de produtores têm nos seus membros e no funcionamento da cadeira alimentar.

Considerando que as organizações de produtores são a pedra basilar da estruturação da produção de toda a política agrícola comum, uma análise deste tipo impunha-se há muito, sobretudo no sector dos frutos e produtos hortícolas, já que este foi o primeiro a avançar com esta lógica de abordagem ao mercado.