“O Orçamento foi construído para a satisfação das reivindicações dos partidos que suportam o Governo, desperdiçando o bom momento económico internacional…”

No Congresso dos Agricultores Europeus realizado em Linz, na Áustria em Outubro passado, nada de novo sobre a reforma da PAC para 2021-2027. Continua o impasse na construção do orçamento da União, muito por via da questão do Brexit, mas também pela indefinição de alguns países membros em aceitarem o desafio lançado pelo Comissário Phil Hogan que, como referiu em Santarém na FNA18, se houver um ligeiro reforço dos contributos financeiros o problema dos cortes anunciados seria ultrapassado. Não sendo ainda uma questão resolvida, o que para Portugal é preocupante pelo potencial corte no envelope financeiro do Desenvolvimento Rural, temos contudo a resposta positiva a esse repto por parte do Primeiro Ministro. Esperemos que até ao final das negociações haja acordo nesta matéria e assim se possa assegurar um orçamento para a PAC com impacto um pouco mais reduzido.

Em pleno período de discussão do Orçamento do Estado para 2019, lamentamos que uma vez mais o Governo não tenha sido sensível às preocupações e propostas elencadas pela CAP. Todo o orçamento foi construído com uma forte pendente para a satisfação das reivindicações dos partidos que no Parlamento suportam o Governo, desperdiçando o bom momento económico internacional que permitiria aliviar as empresas da carga fiscal asfixiante que tanto dificulta o progresso e consolidação de uma recuperação efectiva da economia nacional. A esta situação não é imune o facto de não termos uma oposição forte e interventora na defesa do mundo rural e da agricultura, que apenas é referenciada e objecto de atenção quando o desastre e a tragédia assolam vastas regiões, como aconteceu com os fogos florestais e mais recentemente com o furacão Leslie, que deixou um rasto de destruição e ruina nunca antes registados no nosso território. Esperemos que com a “experiência” dos processos dos fogos florestais, as medidas de apoio e as verbas necessárias a uma efectiva recuperação, sejam rapidamente disponibilizadas aos agricultores atingidos.

A encerrar, uma palavra de felicitação ao jovem agricultor português que venceu a 5ª edição do Concurso do melhor projecto de Jovem Agricultor Europeu. É a prova que em Portugal se continua a querer ser agricultor, com valor, empenho e vontade de vencer. Parabéns.